/arquivo de November 2010

Trecho de um conto

Um trecho de um de meus contos, especialmente pra você. É o bilhete deixado por ela antes de ir embora: ‘Primeiro de tudo, detesto você! Segundo de tudo, nossa, como te detesto! Minha língua esteve sempre salgada, explorando com a boca a pele do meu sexo, não do teu. Você foi um bom amante. Os […]

C

Dustin Hoffman dá a letra

Paulo Leminski

sossegue coração ainda não é agora a confusão prossegue sonhos a fora calma calma logo mais a gente goza perto do osso a carne é mais gostosa

Uni duni tê

Eu quis saber da minha estrela-guia Onde andaria meu sonho encantado Fada-madrinha, vara de condão Esse meu coração sonhando acordado Vai nos levar para um mundo de magia Onde a fantasia vai entrar na dança E quando o brilho do amor chegar Eu quero é mais brincar, melhor é ser criança A carruagem vai seguir […]

Tetsuya Ishida

Tetsuya Ishida.

Oficina

Foi o último dia da oficina Elementos da narrativa, com o Otto (Leopoldo Winck). Deixamos o ambiente agradável da biblioteca Nair de Macedo – que tornou os encontros ainda melhores, devido à localização (em meio a um bairro residencial de Curitiba), espaço físico (funciona como Casa de leitura, é silenciosa, bem iluminada e arejada) e […]

Que jaza

Aprendendo a conjugar o verbo jazer :)

Espaço em branco

Você sabe que nossa memória não é linear, certo? Por vezes, um fato vivido hoje reaviva, ou até fortifica, um momento passado. É por isso que as coisas resignificam, o que torna a experiência da gente cada vez mais rica, tanto quanto a intensidade à qual nos dediquemos possibilite. Essas novas memórias, muitas vezes são […]

Fragilidade

Você é o cara, veja só. As convicções correm por suas veias, impulsos conduzindo a quaisquer atos. Tem carta branca do destino, ele acena pra você, então escreva sua história e assine com vaidade. Sem medo, nem receio, a imponência de um sentimento de certeza. O mundo não pode com você, sentado à platéia ele […]

|
Página