/arquivo de May 2010

João do Rio

“Nascido João Paulo Alberto Coelho Barreto (1881-1921), o jornalista e escritor João do Rio – pseudônimo pelo qual ficou mais conhecido – tem de fato uma obra que mostra com minúcias o cotidiano e a vida da Belle Époque carioca, numa prosa fortemente marcada por um certo beletrismo, típico da época e bastante adequada, aliás, […]

Dennis Hopper

Helping Johnny remember

Helping Johnny Remember from ashleigh nankivell on Vimeo.

O conto brasileiro do século 21

No último Rascunho (Edição 121, Maio de 2010), foi publicado um ensaio de Rinaldo de Fernandes sobre “O conto brasileiro do século 21“. Como dia desses colei aqui o decálogo do Quiroga e sua refutação, chamando atenção para esse gênero literário, então que tal essa divisão em 5 vertentes proposta pelo escritor, antologista e professor […]

Spoiler

É sobre o final de Lost e eu não sei o quanto há de spoiler no que direi, então siga por conta e risco. Mas serei breve, pois falar sozinho sobre a série não tem a menor graça. Portanto, o que trago aqui é apenas um comentário geral.

Gravité

Gravité from Renaud Hallée on Vimeo.

Refutação do ‘Decálogo do perfeito contista’

Li por recomendação “Anaconda”, um dos contos do escritor uruguaio Horacio Quiroga (1879-1937). Passeando por aí, após a leitura, descobri que ele possui um “Decálogo do perfeito contista“, o qual me interessou não tanto pelos mandamentos, mas devido ao tema. Ainda passeando, descobri que a escritora argentina Silvina Bullrich (1915-1990) escreveu uma refutação ao decálogo […]

Decálogo do perfeito contista, Horacio Quiroga

Lost

E o grande acontecimento desta segunda é o fim de Lost, que rolou ontem à noite, na TV americana. Como não tenho saco pra ficar aguardando episódio a espisódio, semanalmente, espero as temporadas acabarem pra então baixar tudo de uma vez e assistir direto. Neste torrent, a temporada completa já está disponível. Eu fui baixando […]

Cannes

Enfim, os vencedores (apesar de que vale mais a pena se ligar em vários outros, que não ganharam nada mas também não dependerão de prêmio para serem bons, certo?). Do Apichatpong Weerasethakul tenho aqui apenas o “Sang sattawat“, que baixei mas nunca vi (eis o momento, certo?). Portanto, não conheço o trabalho do diretor tailandês, […]

|
Página