/arquivo de August 2009

À sombra do vulcão

O velho desamarrou seu cavalo preso à árvore e disse vai, vai-se embora. Chegou até ali, você sabe que a essa altura já não há mais o que temer. Estamos em meados de 60. Acima, há o morro, do qual vem a corredeira. Aqui, ele disse, enquanto o rio desafia o tempo, eu completo mais […]

Entre a ironia pós-moderna e a literatura contemporânea

O poeta pede ao seu amor que lhe escreva

|
Página