/arquivo de July 2009

Santa ceia

Apontou no horizonte como se descesse do céu. De súbito, o instinto deles eriçou a fome, enquanto o stilleto vinha acariciando a calçada. As canelas anunciavam a grandiosidade daquelas coxas, que cegavam à altura do sexo, estampado por um vermelho maduro. Já o vestido, soprado pelo vento, provocava as feras na arena. Não apenas os […]

A insustentável leveza do ser

Vi que meus pais iam sair, pois estavam arrumados diferente. Foi aquela vizinha quem ficou me cuidando, desta vez. Aí, logo que eles saíram, eu não entendi bem, só que ela entristeceu depois. Chorou e falava alguma coisa. Ela olhava pra mim, mas eu ainda não podia entender. Eu ri, pra ver se animava ela […]

A grande obra ou “ora bolas?”

Minha melhor história foi escrita quando, como se diz? Eu estava no auge, aquele momento em que o jovem escritor encontra o velho calejando, pois a vida, meu amigo. E antes de se sentar supõe-se ter os pés firmes. Por isso eu nunca me casei, sabe como é: boêmio e tal. Tive alguns filhos, é […]

A candura de Polifemo e o drama de Coridão

Três Macacos (Üç Maymun, 2008), Nuri Bilge Ceylan

|
Página